Blog do Tas

Contagem mortos e feridos na Black Friday

27 de novembro de 2014, 12:25

Escrito por marcelotas

 

A Black Friday no Brasil é conhecida por Black Fraude: tudo pela metade do dobro do preço normal. Ou seja, é uma pegadinha do Mallandro, na maior parte dos casos. No meio dos espertinhos, há boas oportunidades de compras e especialmente oportunidade de percebermos o quanto somos otários em pagar preços proibitivos ao longo do resto do ano.

 

Já nos Estados Unidos, onde a Black Friday é realmente uma mega liquidação de estoque durante o feriadão mais esperado pelos irmãos do Norte, acontece um fenômeno bizarro: tem muita gente que simplesmente morre ou fica ferido na correria para disputar os eletrodomésticos a precinhos camaradas.

Há um contador sinistro na Internet, Black Friday Death Count, que supostamente marca em tempo real quantas pessoas já morreram ou se feriram na brincadeira. E você, vai ser um dos mortos, feridos ou enganados pela mega liquidação?

 

 

Black Friday Death Count: contando mortos e feridos na mega liquidação

 

 

CQC 291

23 de novembro de 2014, 22:44

Escrito por marcelotas

Enviada por Alan Santos  (via Rede do Tas)

CQC 291

Band, 22h30

Entre outras:

BRASILEIRÃO NOS FINALMENTES

PROTESTE JÁ- RETORNOS

O ESCANDALO DA PETROBRÁS

50 x 50: ERICK JACQUIN

NOVEMBRO AZUL

FOLIANOPOLIS

CQC NA RUA: EXAME DE PROSTATA

TOP 5

MISS BUMBUM

 

.::.

AVISO AOS NAVEGANTES: este roteiro é apenas um guia. Poderá sofrer alterações, amputações e inversões até a hora e, principalmente, durante a transmissão do programa, que é ao vivo. Relaxem e divirtam-se. Bom programa a todos!

 

Enviada por Vinicius Palumbo  (via Rede do Tas)

 

Paulo Francis, a sonda mais profunda do pré-sal

17 de novembro de 2014, 12:32

Escrito por marcelotas

Francis fala da Petrobrás no Manhattan Connection (1996)

 

Especialmente os jovens que não o conheceram, devem dar um um play no video acima e ouvir com o coração aberto o que o grande Paulo Francis falou no ano de 1996 sobre contratos da Petrobrás. Tais críticas, feitas num programa de TV que é justamente para fazer críticas sobre os fatos da semana, o Manhattan Connection no ar até hoje no GNT, renderam ao jornalista um processo na Justiça norte-americana. Foi uma clara tentativa de intimidação e censura da empresa de petróleo, que o causou dissabores ao Francis e, segundo alguns, a sua morte prematura no ano seguinte.

Diante das denúncias e testemunhos dos desvios de bilhões na operação Lava Jato, creio que esta é hora dos atuais diretores e funcionários éticos e honestos da empresa lançarem uma campanha para batizar a sonda mais importante do pré-sal com o nome dele: viva a poderosa e profunda sonda Paulo Francis!

 

PS: quer saber mais sobre a história, leia a coluna “Mercados” de Geraldo Samor.